Crítica: “Ameaça Profunda” é muito mais que tensão e suspense

Kristen Stewart protagoniza o novo filme de sci-fi/suspense, “Ameaça Profunda“. O longa conta a história de um grupo que está preso nos destroços da estação submarina onde trabalham, destruída pelo acaso… ou por algo que eles nem imaginavam que estava ali?

Com certeza “Ameaça Profunda” vai receber muitas comparações com “Alien – O Oitavo Passageiro” de Ridley Scott, desde a protagonista com cabelo raspado ao visual dos monstros presentes no filme, e o filme definitivamente bebe muito da obra de Scott, e ele poderia se tornar o estereótipo de tentar reproduzir a mesma história do clássico de sci-fi com cenas aleatórias e uma trama mal feita. O filme entrega o contrário.

A trama do longa, mesmo apegada aos elementos de clássicos sci-fi, ainda se sobressai sobre clichês de situações de terror/suspense, com algo que todos vimos antes mas de maneira bem utilizada. O clichê é bem utilizado. Caminhando com os personagens nos momentos de tensão em todo o filme (quando digo todo, é TODO o filme, não há um momento de paz), sobre as armadilhas e desafios que todos eles vão encontrar é algo bem feito na história, ela te prende e te fazer torcer por ele, porque afinal são ótimos personagens e muito carismáticos.

Stewart interpreta a engenheira mecânica Norah, a heróina do filme. A atriz está incrivelmente carismática como a protagonista, o que me faz esperar que ela faça mais filmes como esse, pois ela se saiu muito bem. O resto do elenco está em sintonia. Boa interação, um pouco de excesso de humor, mas nada que estrague totalmente a experiência da tensão vivida pelos sobreviventes.

É um filme que utiliza bastante de efeitos especiais (afinal, ele se passa todo de baixo d’água), e são ótimos! A equipe de criação não economizou a criatividade na criação desde as estações submarinas do filme até as ameaças assustadoras.

Ameaça Profunda” é uma grata surpresa que vale ser conferida no cinema. Assustador, tenso, engraçado, emocionante, é um filme de sobrevivência que lida com esse instinto dos personagens de maneira bem trabalhada em meio a uma trama simples e bem, clichê, mas feita da melhor maneira para que o espectador se atraia pela história. As comparações com Alien serão inevitáveis, mas que tal simplesmente considerarmos isso como um a mais do universo originado por Ridley Scott? Com certeza ganhamos muito mais!

O filme estréia no dia 9 de Janeiro de 2020.

Nota: 3.5/5

Crítica feita por Patrick Félix para o site Falando Série.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado